Você Sabe Qual é a Diferença Entre Personal e Consultor Fitness?

professor de educação física

Olá meus amigos, tudo bem? Hoje eu vim falar sobre um assunto muito interessante que muitos dos meus leitores têm me perguntado nos e-mails que tenho recebido a respeito de sugestão de pauta.

Muitas pessoas querem saber quais são as principais diferenças entre um personal trainer e um consultor fitness. Dentre as principais perguntas que me enviaram, estão as seguintes:

  • O consultor fitness é também formado em educação física?
  • Por que o consultor fitness cobra mais barato do que o personal?
  • O personal trainer pode ser um consultor fitness?
  • Como saber se eu preciso de um consultor fitness ou de um personal?

Eu acabei elegendo as perguntas que mais apareciam nos e-mails que recebi para escrever um texto que pudesse atender a todos de uma forma ou de outra, podendo sanar a dúvida da maioria das pessoas. Para isso, eu entrevistei diversos profissionais e também fiz uma boa pesquisa na academia onde eu costumo malhar e também na internet.

As respostas são surpreendentes e eu acho que você vai gostar muito de saber quais são as principais diferenças entre um consultor fitness e um personal trainer. Boa leitura!

O que é um consultor fitness?

Primeiramente, antes de responder as outras perguntas, precisamos entender o que é um consultor fitness, uma vez que a grande maioria das pessoas já sabem o que é um personal trainer.

O consultor é aquela pessoa que vai te prestar um serviço de consultoria para exercícios físicos. Ao contrário do personal trainer que vai com você a todas as aulas na academia, te motiva, malhar com você, faz todo um levantamento metabólico e físico das suas necessidades, o consultor fitness vai te acompanhar apenas na primeira aula e depois vai te passar os exercícios e séries mensais à distância. No entanto, o consultor fitness também realizar o serviço de avaliação física mensal para seus alunos.

Agora que já sabemos o que um consultor fitness faz, vamos a outra pergunta:

  • O consultor fitness é também formado em educação física?

  • consultor fitnessSim, o consultor fitness precisa ser formado em educação física da mesma maneira que o personal trainer. Quem estiver exercendo esta função sem ser formado, precisa ser denunciado aos órgãos que regulamentam a profissão no Brasil.

A grande diferença entre o personal e o consultor fitness é que enquanto  o personal realmente oferece um serviço personalizado, totalmente voltado para o aluno, o consultor, apesar de oferecer um serviço igualmente diferenciado, não vai estar contigo durante as aulas.

 

 

  • Por que o consultor fitness cobra mais barato do que o personal?

O consultor fitness surgiu da ideia de baratear um pouco os custos do personal trainer para quem quer ter um serviço diferente, mas que não tem muitas condições de arcar com o individualizado como no caso do personal.

Sendo assim, uma vez que o consultor não estará na academia com o seu aluno, alguns custos calculados para este fim não são realizados. Entretanto, o consultor fitness, conforme dito anteriormente, estará prestando uma consultoria profissional para aquele aluno que vai realizar séries e avaliações mensais, bem como poder tirar qualquer dúvida pertinente aos treinos.

  • O personal trainer pode ser um consultor fitness?

Sim, nada impede que o personal trainer seja também um consultor fitness. Tem professores de educação física que abrem o serviço de consultor para aqueles alunos que gostam muito do seu trabalho, mas que no momento não tem como arcar com os valores de um personal.

Sem dúvidas esta é uma boa maneira de driblar a crise econômica e continuar trabalhando.

  • Como saber se eu preciso de um consultor fitness ou de um personal?

    personal trainer

Por muitas vezes uma pessoa não precisa necessariamente de um personal trainer. Isso porque existem pessoas que ou gostam realmente de malhar sozinhas e não tem o costume de ficar conversando ou se relacionando com uma pessoa no meio do treino ou tem pessoas que já são motivadas o suficiente para realizar o treino sem pular ou fingir que esqueceu alguma coisa.

Estas pessoas são o tipo que precisam apenas de um consultor para oferecer um trabalho diferenciado com séries mensais e acompanhamento, mas que não necessariamente precisa de alguém que vai ficar lá te motivando a terminar o exercício, entre outros fatores.

Ou seja, vai depender muito de você e das suas reais necessidades para o momento. Quem vai decidir que precisa de um consultor ou de um personal é você, com base nas suas necessidades e objetivos.

Agora que você já sabe bem a diferença de um e do outro, poderá escolher com muito mais confiança. Boa sorte!

 


4.51/5 104votos

Vigorexia – O que é, Como Funciona e Principais Sintomas

vigorexiaNos últimos tempos a Vigorexia se tornou uma doença mais reconhecida e comentada. Para quem não conhece essa doença consiste num transtorno dismórfico muscular que tem como principal característica a insatisfação com o próprio corpo. De maneira geral a também chamada Síndrome de Adonis afeta mais homens do que mulheres. Uma das consequências mais sérias a que essa doença pode levar é a prática exaustiva de exercícios físicos.

Vigorexia – Por que Transtorno Dismórfico Muscular? 

O termo científico para se referir a essa doença – Transtorno Dismórfico Muscular – foi escolhido pelo fato de que os indivíduos vigoréticos apresentam descontrole em relação a sua autoimagem. A palavra dismorfia se refere aos casos em que existe diferença entre o que é e o que o indivíduo vê. Quem apresenta essa doença tem a percepção de que não é musculoso o suficiente, de que precisa se esforçar ainda mais para chegar ao corpo perfeito.

Quais são os principais sintomas da Vigorexia? 

sintomas-vigorexia

O sintoma que mais chama atenção da Vigorexia é um indivíduo cujo corpo já está em forma, mas que ainda acha que não está adequado, que precisa de grande quantidade de exercícios para alcançar um visual mais interessante. Outros sintomas que se manifestam na Vigorexia incluem dores pelo corpo, sensação de cansaço, anorexia, insônia, sentimento de que se é menos que os demais pelo seu corpo, irritabilidade, depressão entre outros.

A vida de um vigorético 

Para reconhecer um vigorético é necessário observar o seu estilo de vida, em geral pessoas que sofrem desse transtorno passam a ter uma alimentação restritiva e focam na eliminação completa das gorduras do cardápio. Essas pessoas costumam exagerar no consumo de alimentos ricos em proteínas para aumentar a massa muscular do corpo. O uso de anabolizantes pode ocorrer para tentar definir o corpo ainda mais.

Uma pessoa que sofre desse transtorno em geral é forte, mas ainda assim se vê muito magro e fraco. Exatamente por isso que é considerado um transtorno obsessivo compulsivo e precisa de tratamento para não desencadear problemas mais sérios. Ser uma pessoa que sobre de Vigorexia pode ser muito prejudicial para a saúde e também para a convivência social.

Quais são as causas da Vigorexia? 

tudo sobre vigorexia

Acredita-se que as causas dessa doença são psicológicas, no entanto, alguns pesquisadores sugerem que pode existir relação com os neurotransmissores do sistema nervoso central uma vez que se observaram vários casos desse transtorno após doenças como meningite e encefalite. Contudo, as causas ainda não foram determinadas com certeza.

A Vigorexia é um transtorno moderno? 

Os cientistas que pesquisam a Vigorexia chegaram a conclusão de que esse transtorno pode ser consequência da cultura moderna. Basicamente as pessoas estão muito preocupadas com o culto ao corpo porque ele se tornou pauta nas últimas décadas. Chegar ao máximo do potencial físico se tornou algo essencial para muitas pessoas que acreditam não poderem ser felizes sem ter o corpo entendido como perfeito.

O transtorno da Vigorexia pode ser resultado da influência da mídia e sociocultural. No início se trata apenas de um pouco de vaidade com o próprio corpo e da busca por uma vida mais saudável. Contudo, conforme o tempo passa a necessidade de aumentar os músculos vai se tornando cada vez mais expressiva e passa a controlar a existência do indivíduo se caracterizando pelo comportamento obsessivo.

As consequências desse transtorno 

O transtorno da Vigorexia não só pode causar danos psicológicos como físicos no indivíduo. A busca desenfreada por um corpo perfeito pode causar insuficiência hepática ou renal assim como problemas de circulação sanguínea e até mesmo depressão. Nos casos em que o vigorético abusa do uso de anabolizantes as consequências podem ser ainda mais graves acarretando em problemas de saúde como doenças cardiovasculares, redução do tecido testicular e até mesmo câncer de próstata.

Não confunda vaidade com Vigorexia 

Esse transtorno apresenta grande preocupação com a aparência do corpo, no entanto, nem todo mundo que malha com frequência pode ser classificado como vigorético mesmo que tenha um grande desejo por ser mais musculoso. A doença é diagnosticada quando existe um comportamento de risco para a saúde do indivíduo e quando a busca pela forma física ideal se torna maior do que qualquer outra coisa na vida da pessoa impedindo que ela conviva socialmente.

A pessoa que sofre de Vigorexia está sempre no limite do esforço físico para alcançar a forma física ideal, mas nunca chega ao seu ideal, pois ele é inalcançável. Podemos fazer uma comparação da Vigorexia com a Anorexia que é outro transtorno dismórfico. Enquanto na anorexia os indivíduos nunca acham que estão magros o suficiente na Vigorexia os pacientes nunca acham que estão musculosos o bastante.

Tem tratamento para Vigorexia? 

A principal linha de tratamento para a Vigorexia é a psicoterapia em que o paciente passa por acompanhamento médico com a finalidade de se aceitar como é e estar em paz com o seu corpo. Em alguns casos podem ser usados medicamentos a base de serotonina que visam aumentar a autoestima do indivíduo. A alimentação também precisa passar por acompanhamento de um nutricionista para que seja equilibrada.

Reconhecimento do problema 

Para que os tratamentos para Vigorexia sejam realmente eficazes é necessário que o indivíduo aceite a sua condição. Porém, esse reconhecimento de que tem um problema pode ser muito difícil por parte dos vigoréticos uma vez que assim como anoréxicos eles não conseguem ver o que as outras pessoas estão vendo.

Uma pessoa com um transtorno dismórfico não se vê como é e sim como acha que é. A Vigorexia pode ser resultante de um quadro de depressão de maneira que pode ter raízes muito profundas que devem ser solucionadas para que se chegue ao final do problema.

O Que Comer Depois de Malhar? Veja Aqui e Entenda:

o que comer depois da academiaA alimentação tem papel fundamental para a conquista do corpo ideal e acertar no cardápio para depois da malhação é essencial para ter os melhores resultados. A manutenção dos resultados obtidos após a malhação é feita através da alimentação correta para potencializar o visual. Os bons resultados da malhação somente serão obtidos através de uma rotina saudável que inclui uma alimentação equilibrada e nada de exageros para os exercícios.

A principal dica que os nutricionistas dão é que aconteça uma divisão da alimentação em 6 refeições por dia. Alimentar-se de 3 em 3 horas é uma maneira de manter o seu corpo bem alimentado e preparado para todas as atividades do dia a dia. Todas as refeições são importantes e você não deve pular nenhuma. Contudo, é importante dar atenção especial para o que comer depois de malhar.

Entendendo como seu corpo age durante a malhação 

Quando alguém está se exercitando tem seu gasto energético mais rápido de maneira que o corpo precisa consumir uma fonte de energia rápida, nesse caso os açúcares. Os estoques de glicogênio dos músculos e do fígado passam por quebra formando assim a glicose que passam por diferentes tipos de reações químicas para que então produzam ATP. O organismo usa ATP como uma forma de energia para as fibras musculares então se contraiam.

Quando o organismo não tem mais glicose precisa encontrar outra fonte de energia e então mira seu foco em fontes como proteínas e gorduras. Os ácidos graxos são uma das fontes de energia para a produção de ATP substituindo então a glicose. Também é possível que seja realizado um processe de síntese de glicose chamado gliconeogênese que consiste em fabricar glicose a partir de substâncias que não são glicose como os aminoácidos, por exemplo. Os aminoácidos são compostos das proteínas.

Fique atento 

o que comer depois do treino

Se por um lado esse processo é positivo para a queima de gorduras do corpo por outro pode ser negativo se acarretar na eliminação de massa magra. Os aminoácidos são fundamentais para a formação de novos músculos após a malhação de maneira que eliminá-los como fonte de energia é um desperdício que faz você perder o que foi conquistado com o esforço físico.

Sendo assim concluímos que o estado de alguém que praticou atividade física de moderada e intensa é de estar com estoques de carboidratos muito baixos o que gera um processo catabólico que pode trazer dificuldades de armazenar os resultados obtidos através dos exercícios físicos. A alimentação depois do treino é uma parte fundamental para conquistar bons resultados.

Mas, afinal o que comer depois de malhar? 

O que comer depois de malhar

Agora que você entendeu o que acontece com o seu corpo depois do treino vai compreender que o seu corpo necessita de carboidratos e proteínas depois desse esforço para que possa se recuperar e potencializar os resultados. Os músculos são construídos durante o período pós-treino e não durante a atividade física em si.

Ao contrário do que muitos podem imaginar na verdade não é recomendada uma refeição pós-treino e sim duas refeições. Para que seja mais simples de você levar esse conceito para a sua vida vamos descrever as duas refeições pós-treino de maneira a ficar fácil compreender.

Como deve ser a primeira refeição pós-treino 

Nesse momento a demanda de energia está bem elevada, pois o tecido muscular se encontra bastante danificado devido a atividade física intensa. Dessa forma pode ser muito fácil perder massa magra nesse momento. Essa é a fase em que se mostra necessário consumir grande quantidade de carboidratos e proteínas. O mais indicado é que esses nutrientes sejam consumidos numa forma que sejam rapidamente absorvidos pelo corpo.

Uma dica que é bastante eficiente é o consumo de shake pós-treino, feitos a partir de compostos como Whey Protein que tem elevado índice de nutrientes. Por ser uma bebida passa com mais facilidade pelo trato gastrointestinal. Para evitar a perda de massa magra a dica é tomar o seu shake em pelo menos 15 minutos depois de ter malhado.

Chegamos então a segunda refeição depois do treino 

Passado um tempo de 1h a 1h30 depois de ter tomado o seu shake vem a necessidade de se alimentar com comida de verdade. Isso significa uma refeição com alimentos sólidos que precisarão ser mastigados e que serão absorvidos pelo corpo em mais tempo. A recuperação dos seus músculos acontecerá com mais facilidade através do consumo de proteína e um carboidrato de baixo índice glicêmico.

Dentre as melhores opções de proteínas estão grelhados como frango e peixes assim como ovos. Já os carboidratos mais indicamos para esse momento pós treino são batata doce, brócolis, arroz integral entre outros. Entender que seu corpo necessita desses nutrientes para a construção de músculos faz toda a diferença.

Carboidrato é energia 

A fonte principal de energia para o organismo são os carboidratos, pois são eles os primeiros a serem absorvidos e levados para a corrente sanguínea. As melhores opções são os chamados carboidratos complexos que são alimentos como batata doce e versões integrais. Carboidratos simples não são benéficos para o corpo.

Proteínas dão origem a massa magra 

As proteínas são essenciais para quem está praticando musculação devido a sua relevância na produção de massa magra no corpo. A grande dica em relação a proteínas é dar preferência para uma que tenha grande valor biológico na primeira refeição pós treino porque assim será mais facilmente absorvida pelo corpo.

Quantidade é importante 

Encontrar as medidas certas para a ingestão dos nutrientes é essencial para que os resultados sejam positivos. No caso da primeira refeição pós treino que consiste no shake a dica é consumir mais ou menos 0,4 gramas de proteínas e 0,8 gramas de carboidratos por quilo que a pessoa tem. Lembrando que essas medidas são apenas relativas e podem variar de pessoa para pessoa. As quantidades da segunda refeição pós treino também variam bastante devido a questões particulares de cada um.